(19) 3579-1515  

Tratamentos - Constipação intestinal


A  prisão de ventre ou o intestino preso são os nomes populares pelos quais é conhecida a constipação  intestinal,  distúrbio caracterizado pela dificuldade persistente para evacuar. Caracteriza-se pelo hábito evacuatório de 2 ou menos vezes na semana, acompanhado de esforço evacuatório aumentado, fezes endurecidas, sensação de evacuação incompleta e dor.
A constipação intestinal é uma problemática principalmente de origem funcional.  As principais causas são hábitos alimentares errôneos, como dieta pobre em fibras, uso excessivo de proteínas, alimentos industrializados e refinados.

Pode ser de caráter secundário, ou seja, associada a doenças do intestino, como Megacólon Chagásico, Doença Diverticular, Colites Inflamatórias e Câncer; distúrbios psiquiátricos, como Depressão, Doenças endocrinológicas, como o Diabetes, Hipotireoidismo; neurológicas como Doença de Parkison, Paraplegia; metabólicas, como a Amiloidose  e uso de medicamentos, inclusive o uso excessivo de laxantes.



Diagnóstico

É feito através de uma história clínica e da exclusão de causas secundárias.
Deve-se fazer uso de exames endoscópicos como a colonoscopia longa; exames radiológicos como o enema opaco, trânsito intestinal e o defecograma;  ultrassom endoanal; e exames neuromusculares como a manometria anorretal e a eletoneuromiografia.


Tratamento

O tratamento da constipação se constitui, como abordagem inicial, uma correção do hábito dietético. Uma dieta rica em fibras forma um bolo fecal volumoso, o que estimula a evacuação. A recomendação de fibras diária é de 30 a 60 gramas/dia, preferencialmente fibras insolúveis. Podemos citar por exemplo que 100 gramas de maçã com casca tem 1,8 gramas de fibras insolúveis.

Recomenda-se a  ingestão de 2000 a 2500 ml de líquidos/dia, principalmente água.

A reeducação funcional é de fundamental importância, através de uma rotina evacuatória, para o estímulo intestinal, principalmente em períodos onde a motilidade intestinal está aumentada, o que ocorre após as refeições.
Além, claro, da prática diária de atividades físicas.



Medicamentos

Os probióticos são bactérias que produzem efeitos benéficos no hospedeiro. Um de seus diversos papéis é equilibrar a flora intestinal.

As fibras medicamentosas são agentes de formadores de bolo fecal. Suas principais preparações são a base de psilium,agar,plantaga ovata e spaghula. Como exemplos temos o Metamucil, Agiofibra, Planta bem, Stimulance.

Agentes lubrificantes, como óleos minerais ( exemplo  Nujol ) são também usados.

Podemos citar  agentes salinos, como o magnésio,sulfato, fosfato e o citrato, como exemplo o Leite de Magnésia e Fleet Enema.

Como agentes estimulantes laxativos a base de antraquinona e difenilmetano, temos como exemplos o Lactopurga, Agarol, Tamarine, Agiolax e Humectol.

Agentes Hiperosmóticos a base de Glirerina,lactulose, temos como exemplos a Lactulona,  e o Farlac.

Agentes prócineticos agem estimulando o peristaltismo intestinal e podemos citar o tegaserode e  prucaloprida  (como exemplos temos  o Zelmac e o Resolor).
 
Pode-se lançar uso de estimulação através de reeducação por biofeedback, toxina botulínica ou em algumas situações até o tratamento cirúrgico.